James Grosjean

James Grosjean

James Grosjean era um estudante de pós-graduação da Universidade de Chicago quando começou a jogar blackjack profissionalmente. Desde muito jovem, Grosjean era capaz de reconhecer e calcular números quase instantaneamente. Entretanto, apenas quando ele viu um hole card de um dealer pela primeira vez, ele percebeu que poderia utilizar a matemática para ter vantagem sobre a casa.

Como resultado desse primeiro contato negativo com o jogo, James Grosjean elaborou suas táticas matemáticas e as colocou em seu livro sobre contagem de cartas, método que pode ser utilizado para que um jogador utilize as probabilidades a seu favor. O livro, intitulado “Beyond Counting: Exploiting Casino Games from Blackjack to Video Poker”, foi lançado em 2000.

A publicação logo adquiriu um status comparável ao primeiro livro do jogador profissional Doyle Bruson, “Super System”, considerado a bíblia do pôquer. Beyond Counting é um livro essencial para qualquer jogador blackjack e traz informações detalhadas sobre as teorias de contagem de cartas, cálculo de valores e embaralhamento seqüencial do dealer. O livro também explica a matemática necessária para dominar o jogo, assim como aspectos psicológicos e mentais que muitas pessoas deveriam considerar antes de se sentar em uma mesa de jogo.

Os cálculos do livro são bem escritos e fáceis de compreender, além de oferecer aos leitores uma chance de idealizar suas próprias fórmulas quando colocados em determinadas situações nas mesas blackjack. O autor também discute como tirar dicas de outros jogos populares como Let It Ride, 3 Card Poker e Caribbean Stud. É um trabalho completo e melhor apreciado por pessoas que tem facilidade com a matemática.

Esse não é o único trabalho de Grosjean como respeitado autor e jogador blackjack.

James Grosjean é provavelmente mais reconhecido por sua luta a favor dos direitos dos jogadores blackjack. Ele ganhou disputas judiciais emblemáticas contra gigantes da indústria dos cassinos como Imperial Palace e Caesar’s Palace, além da empresa de segurança Griffin Investigations.

Sua primeira ação judicial bem sucedida teve início em 2000, quando ele e um amigo foram detidos ilegalmente pela segurança do Caesar’s Palace por suspeita de contagem de cartas, presos e enviados à penitenciária local. Seu amigo foi solto no dia seguinte, mas Grosjean permaneceu preso por outros quatro dias. Algumas semanas depois, Grosjean foi agredido pelos guardas de segurança do Imperial Palace quando entrava à procura de uma mesa blackjack. Sabendo que estava sendo observado mesmo antes de se sentar, Grosjean tentou deixar o prédio, mas a segurança novamente o deteve e o submeteu a um intimidante interrogatório.

O tribunal do júri do condado de Clark considerou o Imperial Palace culpado por violação dos direitos de James Grosjean e ele recebeu US$ 399.000 de indenização pelo incidente (o valor inicial de US$ 500.000 teve que ser diminuído em razão dos limites legais).

Um segundo processo com resultado favorável fez de James Grosjean um herói na comunidade do blackjack. Em setembro de 2005, a empresa de consultoria de segurança de cassinos Griffin Investigations foi forçada a pedir falência quando Grosjen e sua equipe jurídica venceram uma ação na qual acusavam a empresa de difamação. As custas judiciais, além da multa de US$ 105.000 a ser paga pela Griffin Investigations em razão do processo, foi suficiente para que eles fechassem as portas. Nesse dia, muitos jogadores blackjack deram um grande de alívio.

Um pouco após essa incrível vitória, em 2006, James Grosjean passou a integrar o Blackjack Hall of Fame, se tornando a pessoa mais jovem a receber tal honra. Os 21 membros da junta julgadora, que inclui as mais prestigiadas personalidades do jogo, entendeu que seria adequado incluir Grosjean na mesma lista de nomes como Edward Thorp e Max Rubin.

Temos notícia de que James Grosjean continua jogando blackjack pelos cassinos ao redor do mundo, utilizando disfarces para não ser reconhecido pelos seguranças.

US – Ignition